Jô Araujo

Depois dos 40 anos, o pensamento feminino muda, desembaraça.  Um texto muito bonito que atribuem a José Saramago, embora muitos digam que não seja dele. “Tenho a idade em que as coisas são vistas com mais calma, mas com o interesse de seguir crescendo. Tenho os anos em que os sonhos começam a trocar carinhos com os dedos e as ilusões se transformam em esperança. Tenho os anos em que o amor, às vezes, é uma chama louca, ansiosa para se consumir no fogo de uma paixão desejada. em outras, uma corrente de paz, como um entardecer na praia. Não preciso de números para marcar, pois meus anseios alcançados, as lágrimas que derramei pelo caminho, ao ver meus sonhos destruídos… muito mais que isso. Não importa se faço vinte, quarenta ou sessenta! Que importa é a idade que eu sinto. Tenho os anos de que preciso para viver livre e sem medos. Para seguir sem medo pelo caminho, pois levo comigo a experiência adquirida e a força de meus anseios. Tomar o café da manhã não é apenas um desjejum, tem a sua identidade, o seu ritual, um refinamento da história de seus sabores. Não tenho um momento para a sensualidade, a sensualidade é todo momento. É mais louca do que a loucura porque não se recrimina de véspera. É ainda mais sábia do que a sabedoria porque não guarda culpa para o dia seguinte. A beleza se torna também um estado de espírito, um brilho nos olhos, o temperamento. A beleza é resultado da elegância das ideias, não somente do corpo e dos traços físicos. Encontrou a suavidade dentro da serenidade. A suavidade que é segurança apaixonada, confiança curiosa. Há a leveza de não explicar mais a vida. A leveza de perguntar para se descobrir diferente, em vez de questionar para confirmar expectativas. Depois dos 40 anos (47) não há depois, é tudo agora!"
Depois dos 40 anos, o pensamento feminino muda, desembaraça.
Um texto muito bonito que atribuem a José Saramago, embora muitos digam que não seja dele.
“Tenho a idade em que as coisas são vistas com mais calma, mas com o interesse de seguir crescendo. Tenho os anos em que os sonhos começam a trocar carinhos com os dedos e as ilusões se transformam em esperança.
Tenho os anos em que o amor, às vezes, é uma chama louca, ansiosa para se consumir no fogo de uma paixão desejada. em outras, uma corrente de paz, como um entardecer na praia.
Não preciso de números para marcar, pois meus anseios alcançados, as lágrimas que derramei pelo caminho, ao ver meus sonhos destruídos… muito mais que isso.
Não importa se faço vinte, quarenta ou sessenta! Que importa é a idade que eu sinto.
Tenho os anos de que preciso para viver livre e sem medos. Para seguir sem medo pelo caminho, pois levo comigo a experiência adquirida e a força de meus anseios.
Tomar o café da manhã não é apenas um desjejum, tem a sua identidade, o seu ritual, um refinamento da história de seus sabores.
Não tenho um momento para a sensualidade, a sensualidade é todo momento.
É mais louca do que a loucura porque não se recrimina de véspera. É ainda mais sábia do que a sabedoria porque não guarda culpa para o dia seguinte.
A beleza se torna também um estado de espírito, um brilho nos olhos, o temperamento. A beleza é resultado da elegância das ideias, não somente do corpo e dos traços físicos.
Encontrou a suavidade dentro da serenidade. A suavidade que é segurança apaixonada, confiança curiosa.
Há a leveza de não explicar mais a vida. A leveza de perguntar para se descobrir diferente, em vez de questionar para confirmar expectativas.
Depois dos 40 anos (47) não há depois, é tudo agora!”

 

Primeiramente

Permita me apresentar, Joilma aqui, baiana natural de Poções,  cheguei em Sampa com 1 aninho e cá estou desde então. Me sinto paulistana, mas minha alma pertence a terra de encantos e magias, morena cravo e canela (minha tez), romântica e determinada, com muita alegria de viver.

Sensível, sem ser fraca, “piegas” algumas vezes (quase sempre, rs) mas firme quando a vida, situação, exige.

Buscando sempre o sentido das coisas e o entendimento da vida e pessoas, me decepcionando muitas vezes, mas otimista, que não somos tao complexos e difíceis assim. O ser humano tem solução, precisamos apenas saber a “tecla” certa pra apertar.

Sou uma pessoa espirituosa, palhaça, divertida… Adoro quando ouço: Sair com você é diversão garantida!

Tem uma citação de Augusto Branco que muito me define:

“Eu gosto do sabor intenso das coisas desmedidas. Tudo que é bom, que eu viva em exagero! Mas não é que eu queira morrer de um jeito fulgás. O que eu quero é viver em êxtase!”

Mas confesso sou um tanto quanto “mordaz” entenda -se:

Mordaz
ácido, agro, agudo, amargo, áspero, cáustico, duro, incisivo, maldoso, picante, sarcástico, severo

Áspera as vezes… Incisiva, picante, severa.

Amante de um boa comida, de sair e se divertir, mas também amo ficar em casa e maratonar séries (louca por series), filmes de todos os gêneros, mas principalmente drama, adoro filmes pra chorar.

Adoooro dançar e carnaval!! Minha paixão, desde pequena, minha Tucuruvi 💙
Desfilo há 35 anos, atualmente sou Harmonia da Escola.

Sigo vivendo e aprendendo, me reconstruindo, me reconhecendo a cada década, a cada fase da vida.

Beijo grande.

Jojo♥ 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s